do Amanhacer por Guimarães

April 30, 2011 § Leave a comment

[de Guimarães Rosa, em Magma]

Floresce, na orilha da campina,
esguio ipê
de copa metálica e esterlina.

Das mil corolas,
saem vespas,abelhas e besouros,
polvilhados de ouro,
a enxamear no leste,onde vão pousando
nas piritas que piscam nas ladeiras,
e no riso das acácias amarelas.

Dos charcos frios
sobem a caçá-los redes longas,
lentas e rasgadas de neblina.
Nuvens deslizam,despetaladas,
e altas, altas,
garças brancas planam.

Dançam fadas alvas,
cantam almas aladas,
na taça ampla,
na prata lavada,
na jarra clara da manhã…

Advertisements

de Guimarães a Vilma e Agnes

April 8, 2011 § Leave a comment

[Carta de Guimarães Rosa para a filha Vilma – e sua irmã menor, Agnes]

Hamburgo, 13 de Março de 1940.

Querida Vilminha,

todos, todos os dias, desde que vim cá para este outro lado do mar, tenho sentido saudade de você. Mas, hoje a saudade foi mais forte; a primavera já está chegando, mas eu pensei: a primavera só começará de-verdade quando eu receber uma cartinha da Vilma. Por isso, peço que você mande a resposta depressa, para que ela chegue aquí junto com as primeiras flôres e com os primeiros dias de sol bonito. E deverá ser uma carta grande, falando de muitas cousas.  Uma carta que você leve tres dias escrevendo, para que o papai leve tres meses lendo, e tendo ainda mais saudades de você…

(…)

Fale tambem um pouco da Agnucha, que é tão bôazinha e tambem múito amada, mas que é ainda pequena demais para poder escrever pela sua própria mãozinha. Ela ainda gosta muito de gatos? E ainda descasca bananas, para enroláIas num pano e guardar no meio dos brinquedos? Fala no papái, ou já se esqueceu dêle? Acho que não se esqueceu, não, porque quando ela pensa em mim transmite-me, mesmo a tão grande distância, uma daquelas gripes fortes, que só ela mesmo é quem sabe guardar, no seu narizinho bonito.

(…)

Mas, não fique com ciúme, porque o papái gosta muito também dos olhos claros da Vilma, côr de lagôa e  de fôlha de bétula, cor lembrança.

(…)

Amanhã, pretendo ir tomar chá, perto daqui, num lugar que você gostaria de conhecer. E um restaurante, chamado… um nome que nem você e nem a Agnes saberiam pronunciar: “Wittemberger-Faehrhaus”. Em-frente da casa há um jardim e uma piscina enorme, onde moram duas fócas mansas. Elas batem palmas, pedindo o- comida. A gente compra um prato cheio de harenques, e vai jogando os peixinhos, que elas aparam no ar, um a um. E tornam a bater palmas, e a mexer com os bigodes, latindo como cachorrinhos e saracoteando o corpo, gordo e oleoso. E nunca estão sem fome, porque é insaciável o seu apetite. Também, são inteligentíssimas,aprendem facilmente toda a sorte de equilibrismo, e já vi mesmo uma delas tocar órgão, perfeitamente,

Bem, Vilminha, o Papái vai terminar esta carta dizendo que ele vai bem, e com muitas saudades de Você e da Agnes, e mandando, para vocês duas, muitos beijos e abraços, muitos, muitos, e mais ainda.

Papai

de Guimarães para Vera

April 8, 2011 § Leave a comment

Desenho feito no dia da morte de Guimarães Rosa (19-11-1967), em que o avô tentava convencer Vera a ficar mais uma semana com ele (conseguiu!)

roteiro do que fariam juntos naquela semana:

20-11: comprar bolsa e sapatinho

21 a 24-11: passeio na praia, no Jardim Botânico, no Zoológico, nos parques…

25-11: Guimarães Rosa ia viajar para o Paraguai pelo Itamarati

26-11: Vera voltaria para São Paulo com a avó Aracy, de ônibus

OOÓ DO VOVÔ: Correspondência de João Guimarães Rosa, vovô Joãozinho, com Vera e Beatriz Helena Tess

do ooó do vovô

April 8, 2011 § Leave a comment

Correspondência de João Guimarães Rosa

[1967]

OOÓ DO VOVÔ: Correspondência de João Guimarães Rosa, vovô Joãozinho, com Vera e Beatriz Helena Tess

Where Am I?

You are currently browsing entries tagged with guimaraes rosa at bacteriasnomeio.